Lisboa, 16 jan (EFE).- O Governo de Portugal reduziu hoje as previsões da economia portuguesa para este ano e elevou o déficit até 3,9%, a taxa de desemprego para 8,5% e a contração econômica para 0,8%.

As estimativas aprovadas pelo Conselho de Ministros português realizado hoje e divulgadas pelo ministro das Finanças, Fernando Teixeira dos Santos, corrigem o orçamento do Estado aprovado no final do ano passado com previsões mais otimistas.

Frente à estimativa original do Governo de que o déficit não passaria dos 3% estabelecidos pelo Pacto de Estabilidade e Crescimento da União Europeia (UE), Teixeira dos Santos justificou o aumento até 3,9% com "a deterioração das condições macroeconômicas".

"Esperamos voltar às condições normais em 2010, com uma redução do déficit até 2,9% e seguir o caminho da consolidação orçamentária, em 2011, quando cairá para 2,3%", explicou.

Ele revelou ainda que o Produto Interno Bruto (PIB) português terá uma contração de 0,8% neste ano, frente à estimativa do Executivo, que previa em dezembro uma retração de 0,6%, mas estimou que a economia se recuperará em 2010 e crescerá mais de 1% em 2011.

Além disso, Teixeira dos Santos destacou que espera que a taxa de desemprego, cuja última estimativa foi de 7,6%, cresça até 8,5% em 2009, enquanto em 2010 está prevista uma queda para 8,2% e em 2011, até 7,7%.

O Governo português prevê um aumento da dívida pública de 69,7% este ano, em vez dos 65,9% estimados no orçamento inicial do Estado.

EFE atc/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.