Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Governo pode anunciar medidas de estímulo ao crédito nesta quinta-feira, diz Bernardo

BRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva pode anunciar nesta quinta-feira, durante reunião com empresários no Palácio do Planalto, um novo pacote de medidas com o objetivo de conter os efeitos da crise internacional sobre a economia, de acordo com o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo. Ele ressalvou que as novas medidas ainda não estão totalmente definidas, mas assegurou que serão no sentido de minimizar os efeitos da crise para as pessoas.

Redação com Agência Brasil |

As novas medidas terão o objetivo principal de garantir o crédito, segundo o ministro. Ele ressaltou que a crise financeira tem um forte componente psicológico e acabou gerando pânico sem razão diante da situação econômica brasileira.

A prioridade do governo é evitar que a crise econômica chegue à vida das pessoas. O governo vai anunciar medidas que visam a manter a atividade econômica. O foco das medidas são as pessoas, emprego e renda. O que nós tivermos condições de fazer para amenizar um eventual aumento do desemprego, que efetivamente não aconteceu, vamos fazer. O importante é que estamos preocupados com os efeitos da crise e vamos minimizá-los", disse Paulo Bernardo, depois de se reunir com o ministro da Fazenda, Guido Mantega.

O ministro ainda comentou a política de juros empreendida pelo Banco Central e disse que quando foi necessário aumentar os juros para conter uma demanda aquecida a instituição financeira fez um bom trabalho. O BC tem feito um excelente trabalho. É bom avisar aos críticos que o BC aumentou juros até setembro e, na época, lutávamos contra uma demana muito aquecida, justificou.

Paulo Bernado disse ainda que ainda não há decisão sobre a proposta apresentada pelas centrais sindicais para o reajuste da tabela de imposto de renda acima de 4,5%, percentual que consta no acordo firmado em 2006. "Temos o compromisso de reajustar a tabela em 4,5%, mas o pessoal está reclamando porque a inflação foi maior. Não tem resposta ainda. Ela deve sair nos próximos dias", disse o ministro que conversou com Mantega sobre o assunto.

Leia mais sobre: crise financeira

Leia tudo sobre: crise financeira

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG