BRASÍLIA - O Brasil não aplicará nenhuma medida protecionista contra a Argentina em resposta à licença não automática adotada recentemente pelo país vizinho, restringindo a entrada de produtos brasileiros. Trata-se de uma medida prevista pela Organização Mundial de Comércio [OMC], que pode ser adotada por até 60 dias, avaliou hoje o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Miguel Jorge, durante o programa Bom Dia, Ministro.

"Não tomaremos medidas protecionistas, a menos que haja casos de concorrência desleal, como venda de produtos abaixo do preço de produção", disse o ministro.

Segundo Miguel Jorge, em momentos como o atual, de profunda crise financeira, todos países buscam reagir e é comum haver reclamações de todas as partes. "O que não se pode deixar acontecer é que se instale um processo de protecionismo entre os países. Isso dificultaria não só as relações, mas inclusive o crescimento do próprio país", assinalou ao final do programa.

Para o ministro, o diálogo será uma importante ferramenta para a superação desses entraves comerciais. "Ontem mesmo, empresários brasileiros, acompanhados de representantes do ministério, estiveram na Argentina para negociar esses problemas, que são pontuais", informou.

Em visita ao Brasil na semana passada, a presidente da Argentina, Cristina Kirchner, afirmou que suas decisões são justificadas pelo déficit na balança comercial de seu país em relação ao Brasil.

(Agência Brasil)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.