Tóquio, 18 dez (EFE).- O Governo do Japão e a coalizão governante decidiram hoje que proporão ao Parlamento a compra de ações de bancos no valor de cerca de US$ 225,58 bilhões (20 trilhões de ienes) para ajudar a estabilizar o mercado, frente à crise global.

Segundo a agência local de notícias "Kyodo", a Corporação de Aquisição de Participações de Bancos, criada conjuntamente pelo Governo japonês e pelos bancos japoneses em 2002 para a compra de títulos bancários, será a responsável por adquirir as ações.

O governamental Partido Liberal Democrático (PLD) e seu aliado Novo Komeito proporão a compra através de um projeto de lei que será apresentado no Parlamento japonês a partir de janeiro.

No entanto, espera-se que a compra das ações comece a ser implementada no final de março, segundo a "Kyodo".

A Corporação de Aquisição de Participações de Bancos poderá comprar diretamente as ações aos próprios bancos e também a outras companhias em posse de títulos bancários.

O PLD decidiu permitir a compra destas ações bancárias por parte da entidade, depois que o primeiro-ministro japonês, Taro Aso, pediu reformas legislativas, após a apresentação no final de outubro de um pacote de estímulo econômico para enfrentar a crise.

A princípio, o partido governante planejava investir 10 trilhões de ienes (US$ 113,410 bilhões) na compra das ações bancárias. No entanto, decidiram duplicar a quantidade de investimento por pedido expressa do Novo Komeito, segundo a "Kyodo". EFE icr/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.