Tóquio, 29 set (EFE).- O Governo japonês aprovou hoje um orçamento suplementar para o atual ano fiscal de 1,81 trilhão de ienes (US$ 16,977 bilhões), parte de um pacote de estímulo econômico de emergência destinado a revitalizar a economia.

Segundo informa a agência de notícias local "Kyodo", o Executivo de Taro Aso, eleito primeiro-ministro na semana passada, tem intenção de financiar o orçamento extra mediante a emissão de bônus e quer apresentá-lo em breve à Dieta (Parlamento) para que seja aprovado o mais rápido possível.

O 1,81 trilhão de ienes de orçamento adicional para o ano fiscal 2008 fazem parte de um pacote de estímulo de um total de 11,7 trilhões de ienes (US$ 109,854 bilhões) destinado a revitalizar a economia e enfrentar os efeitos do crescente custo da energia e das matérias-primas.

Essa proposta foi realizada pelo anterior primeiro-ministro, Yasuo Fukuda, e inclui medidas como ajuda financeira a pequenas e médias empresas, rebaixamento dos custos médicos para os idosos e assistência para a prevenção de desastres.

O objetivo também é prestar assistência financeira àquelas indústrias mais afetadas pelo aumento do preço do combustível, entre elas a pesca e a agricultura.

Segundo os meios de imprensa japoneses, a intenção de Taro Aso é conseguir a aprovação do orçamento adicional o mais rápido possível e posteriormente dissolver a Câmara Baixa e convocar eleições gerais, previsivelmente para final de outubro ou começo de novembro.

O Gabinete quer financiar o orçamento extra, em parte, mediante a emissão de bônus de construção no valor de 395 bilhões de ienes (US$ 3,7 bilhão).

Será a primeira vez desde 2002 que o Executivo japonês emite dívida para financiar um orçamento adicional com o exercício fiscal em andamento, informa a "Kyodo".

Além disso, tem intenção de recolocar dinheiro não utilizado do ano fiscal 2007 e cortar despesas durante o atual exercício 2008, que termina em março de 2009. EFE psh/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.