Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Governo já esperava resultado

O desempenho negativo da produção industrial em novembro ficou dentro do esperado pela área técnica do Ministério da Fazenda, que previa uma queda de 3% a 7%. A avaliação da equipe econômica é de que a atividade deve começar a reagir somente a partir de fevereiro, com o Produto Interno Bruto (PIB) do primeiro trimestre ficando no mesmo nível dos três últimos meses de 2008, desempenho que deve ser considerado fraco.

Agência Estado |

A Fazenda calcula que o PIB do quarto trimestre deve ter recuado 1%, levando a economia a fechar 2008 com expansão de 5,5%. Na visão da equipe econômica, o desempenho da indústria em novembro não refletiu as medidas para gerenciar a crise, já que as principais ações para estimular a atividade econômica foram anunciadas em dezembro.

A aposta do governo é que a desoneração do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF), que começa a entrar nas contas em fevereiro, e o novo salário mínimo também a partir de fevereiro (já previsto antes da crise) deem novo fôlego à demanda interna, estimulando a produção industrial e o PIB como um todo. O novo mínimo deve ficar em R$ 465, 12% mais do que os atuais R$ 415. Além disso, segundo técnicos do governo, as taxas de juros no mercado futuro tiveram forte queda e o mercado de câmbio se acalmou. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG