O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse hoje que o governo fará um esforço bestial para atender às exigências ambientais determinadas para a construção da usina nuclear de Angra 3, no Estado do Rio de Janeiro. O ministro (do Meio Ambiente) (Carlos) Minc nos disse que está fazendo exigências brutais, e nós estamos fazendo um esforço bestial para resolver essas exigências, o Brasil precisa dessa energia e vamos começar a construção, disse.

Segundo ele, a construção de Angra 3 deve começar em setembro deste ano, mesmo que não haja até lá uma solução definitiva para a questão do lixo tóxico a ser produzido. "Não se tem ainda um tratamento absolutamente definitivo, que é o que ele (Minc) preconiza, e nós não somos contrários a isso. Achamos que devemos ter todo o cuidado nessa matéria, mas também não vamos levá-la ao paroxismo", afirmou.

Lobão disse ainda que "essa não é uma questão fundamental ao ponto de paralisar ou de não construir a usina". O ministro citou o exemplo da Coréia, país que segundo ele, "entulha o lixo em uma prateleira, não diria que sem cuidados, mas sem cuidados absolutos".

Indagado se as exigências ambientais de Angra 3 poderão vir a se tornar uma polêmica entre integrantes do governo, Lobão respondeu que "não haverá embate no governo, todos temos consciência da necessidade dessa energia".

Jirau

Lobão disse também que o contrato da usina hidrelétrica de Jirau, no Rio Madeira, em Rondônia, será assinado provavelmente em agosto deste ano e, em seguida, os empreendedores deverão apresentar o projeto ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) e à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) "que também deverão decidir rapidamente". O ministro disse, sobre Jirau, que "todos os projetos tem seus problemas, mas as qualidades são superiores aos defeitos, e acredito que não teremos nenhum problema maior com Jirau".

Segundo ele, o governo tem conversado com as duas empresas (Odebrecht e Suez) que lideram os consórcios que estão em conflito em relação à Jirau "para que elas cheguem a uma conclusão entre si". De acordo com Lobão, no caso específico de Furnas, que faz parte do consórcio da Odebrecht, a empresa "seguirá a orientação do governo assim como as demais estatais ligadas à Eletrobrás". O ministro afirmou que a principal preocupação do governo hoje é de que não haja atraso no prazo do início das obras de Jirau.

Belo Monte

Ele disse ainda que a licitação para a usina de Belo Monte, no Rio Xingu, no Pará, deverá ocorrer no primeiro semestre de 2009. "Não temos ainda a data, mas queremos fazê-la no primeiro semestre", disse. O ministro participa de evento do projeto Centenário do Teatro Municipal, no Rio.

Leia mais sobre Angra 3

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.