Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Governo estuda medidas para aquecer setor de construção civil

O governo deve anunciar na próxima semana duas medidas para amenizar os efeitos da crise econômica no setor da construção civil: a retirada da exigência de fiança para que o trabalhador possa adquirir o seu cartão Construcard da Caixa Econômica Federal; e a autorização para os bancos utilizarem os 2% do compulsório sobre depósitos à vista para financiar compra de material de construção.

Carol Pires, Último Segundo/Santafé Idéias |

Segundo a senadora Ideli Salvatti (PT-SC), líder do governo no Senado, as propostas serão debatidas entre o presidente Lula e o ministro da Fazenda, Guido Mantega amanhã. As medidas, porém, só devem ser anunciadas pelo presidente na próxima semana.

Uma das medidas principais é fazer com que o cidadão possa comprar material de construção e executar a sua obra, sua reforma, com um crédito mais barato e mais acessível, e em maior volume, observou a senadora.

Salvatti não soube informar o impacto que estas ações devem gerar no setor de Construção Civil, mas ponderou que representantes da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção e da Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção ¿ que estiveram reunidos esta manhã com a senadora e o secretário de Política Econômica, Nelson Barbosa ¿ alegam que as medidas são prementes neste momento de crise.

Ainda na avaliação de Ideli Salvatti, não adianta só o governo federal trabalhar medidas para manter a construção civil aquecida. Segundo ela, os governos estaduais precisam estudar ações no mesmo sentido. Para o secretário Nelson Barbosa, o próprio presidente Lula deveria convocar os secretários de Fazenda para provocar o debate.

Leia mais sobre construção civil

Leia tudo sobre: construção civil

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG