Tamanho do texto

O setor público consolidado, formado pelo governo federal, Previdência Social e Banco Central, registra, no acumulado do ano de janeiro a agosto, um superávit primário de R$ 108,409 bilhões, o equivalente a 5,78% do Produto Interno Bruto (PIB), segundo dados divulgados hoje pelo BC. Em igual período de 2007, o esforço fiscal do setor público somou R$ 87,669 bilhões, correspondente a 5,26% do PIB.

O superávit primário é a economia que o governo faz para o pagamento da dívida pública. O saldo primário não leva em conta as despesas com juros da dívida, no período.

O resultado dos oito primeiro meses de 2008 teve a contribuição de R$ 75,704 bilhões do governo central, com destaque para o esforço do governo federal, que economizou R$ 100,358 bilhões. Essa economia foi, em parte, reduzida pelo déficit primário de R$ 24,394 bilhões registrado pela Previdência Social no período.

Nos oito meses deste ano, o superávit primário dos governos regionais somou R$ 24,530 bilhões, com destaque para os Estados, que economizaram R$ 22,416 bilhões. Entre as estatais, o esforço somou R$ 8,174 bilhões, com participação de R$ 7,013 bilhões das companhias federais.

De janeiro a agosto, o gasto com juros nominais somou R$ 119,329 bilhões, o correspondente a 6,36% do PIB. Em igual período de 2007, essa despesa somou R$ 103,889 bilhões, ou 6,23% do PIB. Feito o pagamento de juros, os oito primeiros meses de 2008 terminaram com déficit nominal de R$ 10,921 bilhões, equivalente a 0,58% do PIB. Em igual período do ano passado, o déficit nominal somava R$ 16,221 bilhões ou 0,97% do PIB.

Dívida líquida

A dívida líquida do setor público ficou em R$ 1,183 trilhão em agosto, o equivalente a 40,5% do PIB, de acordo com dados divulgados hoje pelo Banco Central. Em julho, a dívida líquida estava em R$ 1,192 trilhão, ou 40,8% do PIB.

Agosto

O setor público consolidado registrou um superávit primário R$ 10,184 bilhões em agosto. O valor é inferior ao esforço realizado em julho - R$ 12,109 bilhões - mas superior ao registrado em agosto de 2007, de R$ 8,091 bilhões.

O resultado do mês passado reflete o superávit primário de R$ 7,253 bilhões do governo central, com destaque para a Previdência Social, que teve déficit primário de R$ 4,060 bilhões. No mês passado, os governos regionais realizaram esforço fiscal de R$ 2,467 bilhões, sendo que os Estados contribuíram com R$ 2,315 bilhões e os municípios com R$ 152 milhões. As estatais fizeram em agosto superávit primário de R$ 464 milhões, sendo que a contribuição das estatais federais somou R$ 438 milhões.

Em agosto, a despesa com juros nominais somou R$ 12,527 bilhões ante R$ 18,777 bilhões de julho e R$ 10,948 bilhões de agosto de 2007. Feito o pagamento de juros, agosto terminou com déficit nominal de R$ 2,343 bilhões. O resultado é inferior ao verificado em julho (R$ 6,668 bilhões) e inferior também ao de agosto de 2007 (R$ 2,858 bilhões).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.