Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Governo e oposição estão perto de acordo

O diálogo entre os opositores e o governo central da Bolívia parecia avançar na tarde de ontem, enquanto fontes ligadas ao Departamento (Estado) de Santa Cruz afirmaram que os prédios públicos ocupados por manifestantes na semana passada não seriam devolvidos a La Paz. O governador de Tarija, Mario Cossío - escolhido como representante da oposição para as negociações com o governo -, afirmou que as duas partes estão próximas de fechar as bases para um acordo e disse que um documento estabelecendo esses pontos poderia ser assinado na noite de ontem.

Agência Estado |

O texto estabelecerá detalhes da negociação. Segundo Cossío, o documento seria assinado após o retorno do presidente Evo Morales da reunião convocada pela União das Nações Sul-americanas (Unasul) no Chile. "Temos de rediscutir os temas, mas diria que estamos indo por um bom caminho", disse Cossío, que vem negociando com o governo desde sábado.

No domingo, o presidente do comitê cívico de Santa Cruz, Blanco Marinkovic, anunciou que a oposição levantaria o bloqueio nas estradas como um gesto de boa vontade para com o governo de Evo.

No entanto, alguns partidários do presidente boliviano continuavam a bloquear as rotas que levam a Santa Cruz, exigindo que a oposição devolva a La Paz os prédios públicos ocupados e a renúncia do governador do departamento, Rubén Costas.

"As instituições públicas que foram tomadas durante os protestos serão repassadas para o governo departamental de Santa Cruz", afirmou ao Estado Carlos Pablo Klinsky, presidente do Parlamento Crucenho.

O presidente da Assembléia Legislativa da região, Juan Carlos Parada, já havia afirmado no domingo que uma lei aprovada pelos deputados garantia a nomeação de interventores regionais pelo governador de Santa Cruz, Rubén Costas. Ontem, líderes opositores reuniram-se no Comitê Pró-Santa Cruz, no centro da cidade, para discutir os próximos passos a ser tomados para lidar com a crise.

O novo ministro de Hidrocarbonetos, Saúl Álvaro, denunciou ontem que desconhecidos detonaram uma carga de dinamite diante de sua casa em Santa Cruz, causando pequenos danos. Pela manhã, um grupo de aposentados fez uma manifestação em uma praça de Santa Cruz, pedindo o fim da violência em Pando.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG