Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Governo dos EUA ignora críticas e anuncia leilão de slots em Newark

SÃO PAULO - O Departamento de Transportes (DoT, na sigla em inglês) dos EUA anunciou que irá leiloar dois slots (permissões de pouso e decolagem) no aeroporto de Newark, região metropolitana de Nova York, em setembro. A decisão vem apesar de, ainda nesta semana, a Port Authority de Nova York e Nova Jersey, que administra os principais aeroportos da região, ter afirmado que adotaria medidas para inviabilizar na prática os leilões, que considera ilegais. Companhias aéreas do país também se manifestaram contra a iniciativa do DoT.

Valor Online |

Segundo a secretária de Transporte dos EUA, Mary Peters, o leilão desses dois slots, que ocorrerá no início de setembro, servirá como um teste para o conceito de concessão por meio de leilões. Ela acredita, ainda, que essa iniciativa ajudará a avaliar o interesse do mercado e a estabelecer o preço dos slots na região. Segundo a secretária, esses leilões fazem parte do arsenal de mecanismos de mercado que o DoT tem para tentar solucionar o congestionamento aéreo em aeroportos saturados.

Os dois slots que o DoT planeja leiloar pertenciam à Eos Airlines, empresa que fechou as portas no início do ano. O vencedor do leilão poderá operar pousos no horário entre as 17h00 e 17h30 diariamente, exceto às segundas-feiras e sábados, quando o horário passa a ser de entre 12h00 e 12h30. O horário de decolagem diariamente será de entre 19h30 e 20h00.

Os recursos obtidos com esse leilão serão utilizados para reduzir atrasos e melhorar a capacidade dos aeroportos da região de Nova York, afirmou o DoT.

Em resposta à intenção do órgão oficial, o presidente da Associação do Transporte Aéreo (ATA) dos EUA, James May, afirmou que a proposta do DoT é ilegal, nada sábia e não ajudará em absolutamente nada para reduzir o congestionamento e os atrasos de vôos em Nova York.

O mesmo tom foi adotado pela seção norte-americana do Conselho Internacional de Aeroportos (ACI, na sigla em inglês). A abordagem ilegal do DoT não reconhece o papel principal dos proprietários de aeroportos locais de gerenciar o congestionamento em seus aeroportos e ainda busca usurpar ilegalmente o direito de propriedade da Port Authority (de Nova York e Nova Jersey) de controlar como seus terminais são utilizados, afirmou o presidente da entidade, Greg Principato.

(José Sergio Osse | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG