Plano é destinado a limitar o impacto negativo da valorização do iene sobre a economia e interromper a tendência de deflação

selo

O governo do Japão divulgou nesta segunda-feira o esboço de um novo pacote de estímulo à economia, em um total de 920 bilhões de ienes (US$ 10,861 bilhões), destinado a limitar o impacto negativo da valorização do iene sobre a economia e interromper a tendência de deflação. O anúncio foi feito hoje para "dar a impressão de que as medidas econômicas e a flexibilização da política monetária aprovada pelo Banco do Japão (BOJ, o banco central do país) estão apropriadamente coordenadas", disse o ministro de Estado para a Política Fiscal e Econômica, Satoshi Arai, em entrevista coletiva. 

O plano inclui medidas como a criação de um comitê governamental para discutir formas de promover a expansão da economia e apoiar os jovens que procuram emprego, mediante o reforço da demanda em áreas de potencial crescimento, como cuidados infantis e atenção à saúde. O governo vai implementar as novas medidas de estímulo até o fim de setembro, utilizando fundos de contingência dos orçamentos do ano fiscal anterior e do ano corrente, disse o ministro.

As medidas serão implementadas de forma a "enfatizar a rapidez", afirmou Arai. Os fundos de contingência são recursos emergenciais que não fazem parte do orçamento principal e que o governo pode utilizar como quiser, embora posteriormente tenha que buscar a aprovação de todos os gastos no parlamento. 

O governo "vai tomar medidas decisivas (sobre o mercado de câmbio) se necessário", disse o comunicado do Ministério. O plano deve ser finalizado até o próximo dia 10. Arai acrescentou que o governo pode estudar medidas adicionais se o iene seguir forte, a Bolsa de Tóquio continuar a cair e a deflação piorar. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.