A economia chinesa está em boa forma, mas enfrenta riscos tanto internos quanto externos, afirmou nesta sexta-feira a vice-presidente do Banco Popular da China (central), Hu Xiaolian, durante um seminário em Buenos Aires.

A funcionária defendeu que "a economia da China está em boa forma" e assegurou que, em "grande parte", foram alcançados "os objetivos de crescimento constante, a melhora da estrutura econômica e uma maior eficiência".

No entanto, Hu Xiaolian admitiu que a economia de seu país "enfrenta problemas significativos, como uma maior incerteza tanto no ambiente internacional quanto no doméstico, além de um maior risco para o desenvolvimento econômico e financeiro".

Ao discursar em alguns eventos organizados pelo Banco Central argentino, a funcionária declarou que a inflação se transformou em uma "preocupação primária" da economia de seu país.

A este respeito, explicou que os preços no varejo na China subiram 7,9% no primeiro semestre deste ano, alta que foi atribuída ao rápido ritmo de expansão econômica do gigante asiático (aproximadamente 10,4% na primeira metade de 2008), a problemas de oferta e à inflação importada.

Xiaolian advertiu de que "as pressões inflacionárias são maiores sobre os países em desenvolvimento" e que esta perspectiva eleva "os riscos de instabilidade econômica".

Também apontou o impacto da crise hipotecária nos Estados Unidos como fator da contração das exportações da China a esse mercado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.