Tamanho do texto

Ribeirão Preto, 19 - O governo de São Paulo também estuda medidas de crédito para as cooperativas agrícolas do Estado, mas precisa superar dois empecilhos para viabilizá-las, de acordo com o secretário de Agricultura, João Sampaio. O primeiro deles é agilizar um meio de liberar os financiamentos diretamente para as instituições, que não são financeiras.

"No crédito rural, a operação é simples, já que os repasses são feitos dos bancos públicos para serem contratados por meio dos bancos privados. Só que as cooperativas, por não serem agentes financeiros, não dá para ser igual", disse Sampaio à Agência Estado.

A operação teria de ser feita diretamente entre as cooperativas e o governo, por meio do crédito da Nossa Caixa. No entanto, o banco paulista deve ser negociado com o Banco do Brasil, o que poderia atrasar o processo. "Seguimos em estudo para um pacote específico às cooperativas paulistas, que é a única área do setor agrícola ainda não beneficiada diretamente com as medidas tomadas após a crise de liquidez", concluiu o secretário.