SÃO PAULO - A Comissão de Regulação Bancária da China (CBRC, na sigla em inglês) disse, no domingo, que as instituições financeiras precisam ampliar a atenção sobre riscos financeiros, bem como devem aumentar o custo da primeira parcela de imóveis. Segundo o órgão, a entrada para financiamento de uma segunda casa do tomador do empréstimo não deve ser inferior a 40% do valor do imóvel e as taxas de juros devem estar em linha com os riscos. O objetivo é reduzir o crédito usado com fins especulativos.

SÃO PAULO - A Comissão de Regulação Bancária da China (CBRC, na sigla em inglês) disse, no domingo, que as instituições financeiras precisam ampliar a atenção sobre riscos financeiros, bem como devem aumentar o custo da primeira parcela de imóveis. Segundo o órgão, a entrada para financiamento de uma segunda casa do tomador do empréstimo não deve ser inferior a 40% do valor do imóvel e as taxas de juros devem estar em linha com os riscos. O objetivo é reduzir o crédito usado com fins especulativos. As informações são da agência Xinhua. O presidente da comissão, Liu Mingkang, disse que os bancos precisarão informar os riscos aos quais estão expostos até o final de junho. O país asiático tem procurado retirar as medidas de estímulo à economia adotadas em meio à crise. Esta semana, a China terá seu Produto Interno Bruto (PIB) divulgado e alguns economistas preveem um crescimento de 11,7% no último trimestre. (Karin Sato | Valor, com agências internacionais)
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.