Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Governo central tem resultado abaixo do previsto em junho

Superávit primário de R$ 631,5 milhões ficou bem abaixo da estimativa de R$ 1,2 bilhão projetada pelos economistas

iG São Paulo |

As contas do governo central, que compreendem os resultados doTesouro Nacional, do Banco Central e da Previdência Social regsitraram em junho um superávit primário de R$ 631,5 milhões. Esse desempenho ficou abaixo das estimativas dos analistas e economistas que previam em média um superávit de R$ 1,2 bilhão para o período.

O resultado, apesar de positivo, foi um dos piores para meses de junho, desde 2003. O desempenho só não foi inferior ao resultado de junho de 2009, quando houve déficit de R$ 618 milhões. Mas segundo os analistas, o resultado no ano passado foi ainda influenciado pelos efeitos da crise financeira. Em maio, o governo registrou déficit de R$ 517,9 milhões.

Segundo os economistas, está se confirmando um cenário de crescimento das despesas do Governo Federal e uma desaceleração das receitas. Esse resultado deve continuar afetando o desempenho do governo central no resto ano.

"A atividade econômica, principalmente no setor industrial, tem mostrado uma redução no ritmo de crescimento. Isso não significa que haverá uma parada no crescimento. Mas esse ritmo menos intenso deve continuar no restante do ano", afirma o economista Felipe Salto, da Tendências Consultoria.

Segundo os analistas, o governo terá que fazer o abatimento de despesas com o Programa de Acelaração do Crescimento (PAC) para poder alcançar a meta do superávit primário do setor público que é de 3,3% do Produto Interno Bruto (PIB) para 2010.

Desempenho no ano

De acordo com os dados divulgados hoje pelo Tesouro Nacional, no primeiro semestre o superávit acumulado é de R$ 24,832 bilhões, o equivalente a 1,46% do Produto Interno Bruto (PIB). O resultado no primeiro semestre é R$ 6,293 bilhões superior ao registrado no mesmo período do ano passado, quando o superávit estava em R$ 18,539 bilhões (1,24% do PIB).

O superávit primário representa a economia do governo para o pagamento dos juros da dívida pública. Em junho, as contas do Tesouro Nacional apresentaram superávit primário de R$ 3,481 bilhões. Por outro lado, as contas da Previdência Social registraram um déficit primário de R$ 2,778 bilhões, enquanto o Banco Central teve um saldo negativo de R$ 71,6 milhões.

No acumulado do primeiro semestre, as contas do Tesouro Nacional apresentaram um superávit de R$ 47,713 bilhões, enquanto as da Previdência registraram um déficit primário de R$ 22,595 bilhões. Já o Banco Central acumula nos seis primeiros meses do ano um déficit primário de R$ 285,5 milhões. Ao longo do primeiro semestre, as contas do governo central apresentaram superávit em três meses (janeiro, abril e junho) e déficit em outros três (fevereiro, março e maio).

Investimentos

Os investimentos totais do governo central cresceram 72% no primeiro semestre deste ano, em comparação com igual período de 2009, de acordo com os dados do Tesouro. Em valores nominais, os investimentos somaram R$ 20,6 bilhões de janeiro a junho, ante os R$ 12 bilhões de igual período do ano passado.

Considerando apenas os investimentos prioritários, que estão no PAC e podem ser abatidos da meta de superávit primário, houve crescimento de 85% na mesma base de comparação, totalizando R$ 8,936 bilhões no primeiro semestre deste ano. De janeiro a junho de 2009, as despesas do PAC somaram R$ 4,832 bilhões.

(Com agências)

 

 

Leia tudo sobre: Contas públicas

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG