#145;precisa fazer muito mais #146;, diz Bernanke - Home - iG" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Governo Bush #145;precisa fazer muito mais #146;, diz Bernanke

O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), Ben Bernanke, disse ontem que o presidente George W. Bush precisa fazer muito mais para amenizar as dificuldades enfrentadas pelos compradores de casas que correm o risco de perder os imóveis pelos quais ainda pagam.

Agência Estado |

Numa conferência em Washington, Bernanke declarou ainda que, além de evitar que os mutuários percam suas residências, o governo tem de "trabalhar em medidas de prevenção" e contribuir para "que a economia e o mercado imobiliário se estabilizem".

O presidente do Fed também anunciou que o Departamento do Tesouro e a Corporação Federal de Seguros de Depósitos (FDIC, na sigla em inglês) já estão planejando várias medidas para ajudar os mutuários a evitar a perda de suas casas.

Especificamente, o Tesouro americano apresentou um plano para reduzir para 4,5% os juros dos financiamentos de 30 anos, que da semana retrasada para a passada já caíram de 5,97% para 5,53%.

Já a presidente da Corporação Federal de Seguros de Depósitos, Sheila Bair, disse ontem, em outro evento, que reduzir os juros das hipotecas é um bom plano, mas não ajuda os que já estão sendo despejados ou estão prestes a isso.

A busca por soluções para a crise financeira, desencadeada pelo estouro da bolha da especulação hipotecária, se tornou rotina desde que, no começo de outubro, o governo Bush conseguiu aprovar um plano de US$ 700 bilhões para socorrer os mercados. Em um primeiro momento, o secretário do Tesouro, Henry Paulson, disse que usaria parte dos recursos para a aquisição de hipotecas de alto risco e seu refinanciamento.

Depois, no entanto, o governo decidiu nacionalizar parcialmente os bancos e seguradoras em apuros, injetar diretamente fundos nos bancos e retomar a liquidação das hipotecas.

Na conferência de ontem, Bernanke evitou apoiar uma proposta específica, preferindo mencionar várias opções. Segundo ele, as execuções hipotecárias este ano já chegam a 2,25 milhões, ante a média de 1 milhão por ano antes da crise. "É preciso fazer muito mais."

Bernanke já disse que o Fed, por si só, não é capaz de reanimar a economia com suas reduções nos juros e programas de empréstimos emergenciais. Segundo ele, "existe uma aparente falha no mercado, já que as pessoas que fazem empréstimos não modificam as taxas de juros e os termos dos empréstimos até nos casos em que isso beneficiaria seus interesses econômicos". Sobre as soluções para a crise, ele diz que cada uma delas "requer um certo compromisso de fundos públicos".

A proposta defendida ontem aproxima Bernanke do presidente eleito dos EUA, Barack Obama, que na quarta-feira disse que o governo "deve ajudar os compradores de imóveis de maneira séria". Uma das sugestões de Bernanke é que o governo compre hipotecas de alto risco por atacado e estabeleça mecanismos para refinanciá-las. Outra opção seria reduzir os juros pagos por quem pega dinheiro emprestado. Atualmente, a taxa é é de cerca de 8%.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG