Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Governo boliviano confirma redução no volume de gás enviado ao Brasil

RIO - O governo boliviano confirmou a redução de envio de gás para o Brasil em 3 milhões de metros cúbicos diários, em decorrência de um atentado contra um gasoduto na província de Tarija, entre as unidades de San Antonio e San Alberto. O volume representa cerca de 10% do que a Bolívia envia diariamente ao Brasil.

Valor Online |

Segundo informações a Agencia Boliviana de Información, o presidente da estatal Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB), Santos Ramírez, revelou que a redução da exportação significa a perda de US$ 8 milhões por dia para a Bolívia.

A expectativa do governo boliviano é de que o conserto do gasoduto leve cerca de 20 dias, a um custo de mais de US$ 100 milhões - valor que leva em conta as multas pela não-entrega dos volumes contratados e o custo das obras.

Atualmente, a Bolívia produz 40 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia, dos quais entre 6 milhões e 7 milhões de metros cúbicos são destinados ao mercado interno e 31 milhões de metros cúbicos vêm para o Brasil, enquanto o restante é enviado para a Argentina.

O atentado contra o gasoduto é mais um capítulo da briga entre opositores e o governo do presidente Evo Morales, que, ontem, para tentar pacificar o país, nomeou cinco novos ministros. Atualmente, dirigentes das províncias mais ricas do país, como Santa Cruz de la Sierra, brigam pela autonomia em relação ao governo Morales e ameaçam inclusive cortar o envio de gás para Brasil e Argentina.

(Rafael Rosas | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG