Tamanho do texto

Bruxelas, 26 out (EFE) - O Governo belga analisa amanhã em um conselho de ministros extraordinário a situação do banco KBC, que pediu 3,5 bilhões de euros ao Estado após terminar a semana da bolsa com uma forte queda no valor de seus ativos.

Esta tarde, os advogados da entidade se reuniram com um grupo de especialistas do Governo federal para perfilar os detalhes da operação e ainda se espera outro encontro dos gabinetes ministeriais para preparar o conselho de ministros que decidirá sobre o futuro do banco.

Tudo isso antes da abertura da bolsa na segunda-feira e mediante "procedimento eletrônico" já que vários ministros se encontram fora da Bélgica, segundo informou o jornal econômico "L'Echo".

Este periódico, que cita fontes ligadas à entidade, assegura que o KBC pede uma capitalização de entre 3,5 bilhões e 3,6 bilhões de euros que não se traduza em uma divisão do conjunto de acionistas atual.

Para isso, o grupo belga sugere se basear no modelo holandês implementado no fim de semana passado e que serviu para injetar 10 bilhões de euros de capital estatal no banco ING. EFE mrn/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.