Tamanho do texto

SÃO PAULO - A Telebrás, holding de telecomunicações controlada pelo governo, poderá fazer um aumento de capital de R$ 200 milhões. Desde a privatização de diversas empresas do grupo na década passada, a estatal não tem mais atividade operacional.

A informação sobre o aumento de capital consta de um Fato Relevante divulgado hoje, que cita um decreto publicado Diário Oficial da União no dia 24 de dezembro deste ano.

O decreto é assinado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pelos ministros Guido Mantega (Fazenda) Paulo Bernardo (Planejamento) e Helio Costa (Comunicações).

Por meio da medida, o governo autoriza que a empresa faça um aumento de capital até o montante de R$ 200 milhões - corrigidos pela Selic -, com emissão de novas ações. A União, que controla a empresa com 76,46% das ações ordinárias, poderá integralizar a sua fatia e também a dos minoritários, caso não haja adesão.

Em dezembro do ano passado, o governo publicou decreto semelhante, que também autorizava aumento de capital de R$ 200 milhões. Na época, o governo falava que os recursos serviriam para restabelecer o equilíbrio econômico-financeiro da estatal e investir no "Programa de Inclusão Digital e da Universalização da Banda Larga no Brasil". O projeto não foi efetivado.

Ao final de setembro deste ano, a Telebrás tinha patrimônio líquido negativo de R$ 187,9 milhões, considerando que o capital social era de R$ 219,4 milhões e a conta de prejuízos acumulados de R$ 407,4 milhões. De janeiro a setembro deste ano, a empresa teve prejuízo de R$ 24,4 milhões, ante perda de R$ 16,8 milhões em igual período do ano anterior.

(Valor Online)

Leia mais sobre: Telebrás