Brasília, 22 out (EFE).- O Governo federal autorizou hoje a Caixa Econômica Federal a comprar ações de empresas construtoras com problemas de liquidez, em um esforço para evitar a paralisação de obras em andamento no país.

A decisão faz parte de uma medida provisória publicada hoje no "Diário Oficial da União" pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e descrita pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, em entrevista coletiva em Brasília.

A Caixa foi autorizada a constituir subsidiárias para participar do mercado imobiliário e capitalizar as construtoras que perderam fontes tradicionais de financiamento, explicou o ministro.

"Esta medida tem o objetivo de reforçar o setor da construção e habitacional para continuar tendo o comportamento dos últimos três anos", como pólo dinâmico da economia, disse Mantega.

A construção civil tem vivenciado um forte crescimento em todo o país, impulsionada até poucas semanas atrás pela abundante disponibilidade de crédito a longo prazo.

No ano passado, essas empresas tiveram uma capitalização "espontânea no mercado", graças a emissões de ações e papéis comerciais na Bolsa de Valores de São Paulo, destacou.

"A questão agora é que, com esta crise, poderíamos ter uma interrupção ou diminuição desse fluxo, o que poderia ser um problema para dar continuidade a projetos já iniciados" e que são importantes para manter o nível de atividade econômica, explicou o ministro.

Nas últimas semanas, grandes empresas do setor de construção civil e imobiliário têm registrado suas maiores perdas na bolsa paulista.

Durante uma audiência ontem no Congresso Nacional, Mantega disse que o Governo aumentará o fluxo de fundos para esse setor, incluindo US$ 1,5 bilhão destinados ao capital de giro das empresas construtoras que sofrem restrições de crédito bancário.

A construção civil representa atualmente de 3% a 4% da carteira de crédito do país, segundo Mantega. EFE ol/wr/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.