Tamanho do texto

SÃO PAULO - Aumentar a oferta de crédito rural em R$ 2,5 bilhões e usar de R$ 3 bilhões a R$ 4 bilhões para a estimular o setor da construção civil são as mais novas iniciativas do governo para combater os efeitos da crise financeira internacional sobre a atividade econômica brasileira. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, anunciaram hoje, em São Paulo, o aumento de 65% para 75% do direcionamento dos recursos depositados em poupança rural para crédito para o setor agrícola. Essa medida deve elevar o total de empréstimos para este segmento em R$ 2,5 bilhões.

Outra medida, que deverá ser definida nos próximos dias, é um programa de apoio do governo ao setor de construção. A idéia é dar uma injeção de R$ 3 bilhões a R$ 4 bilhões no segmento, mas ainda não está definido se estes recursos seriam repassados via financiamento do BNDES, ou se a Caixa Econômica Federal compraria participação no capital de empresas do setor.

Adicionalmente, os dois anunciaram que Banco do Brasil e Caixa serão estimulados a aumentar a oferta de crédito ao consumo e também de capital de giro para as empresas.

Na análise de Mantega e Meirelles, embora isso não seja uma certeza, as recentes medidas anunciadas pelos países mais avançados podem ter acabado com a fase mais aguda da crise, com o mercado de crédito totalmente congelado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.