Tamanho do texto

Linha do BNDES para bens de capital e produção de bens exportáveis e inovação tecnológica passou de R$ 124 bi para R$ 134 bilhões

selo

O governo ampliou em R$ 10 bilhões a linha de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para bens de capital e para produção de bens exportáveis e inovação tecnológica, com subsídio do Tesouro Nacional. A linha, que era de R$ 124 bilhões, será agora de R$ 134 bilhões e também vai financiar o setor de energia elétrica. A mudança foi incluída na Medida Provisória 501, publicada nesta quarta-feira no Diário Oficial, que prolonga também de 31 de dezembro de 2010 para 31 de março de 2011 o prazo para contratação dos financiamentos.

Essa linha de financiamento, conhecida como Programa de Sustentação dos Investimentos (PSI), foi inicialmente criada durante a crise internacional com um volume inicial de R$ 44 bilhões. O valor foi, posteriormente, elevado em R$ 80 bilhões pela MP 487 - que caducou, por ter vencido seu prazo de votação, no último dia 5 de setembro.

Com a queda da MP, o governo teve que editar uma nova medida para garantir o programa e aproveitou para turbinar em R$ 10 bilhões a linha de crédito, que possui taxas bastante favoráveis para quem quer investir. O Ministério da Fazenda ainda não deu explicações sobre a MP, que trata também de outros assuntos. Essa ampliação da linha de crédito não representa aporte de novos recursos do governo no banco, mas sim uma elevação do volume de financiamentos que o Tesouro Nacional vai arcar com o subsídio - que reduz a taxa de juros para o tomador do crédito.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.