Tamanho do texto

Berlim, 11 out (EFE).- O Governo alemão aprovará na segunda-feira um pacote de resgate para o setor bancário nacional atingido pela crise financeira internacional, que será aplicado através de decreto urgente, para sua imediata entrada em vigor após passagem prioritária pelas câmaras parlamentares.

A edição on-line do jornal "Handelsblatt" afirma hoje que o gabinete ministerial às ordens da chanceler federal, Angela Merkel, se reunirá na segunda-feira de maneira extraordinária para aprovar o pacote de medidas, que tem como objetivo estabilizar os bancos alemães.

O jornal afirma que Merkel poderia divulgar detalhes do plano amanhã, após a reunião dos chefes de Estado e de Governo da eurozona que acontecerá em Paris, a fim de que, na segunda-feira, os mercados comecem a operar com notícias tranqüilizadoras.

O pacote de resgate será aprovado e assinado sucessivamente pelo Bundestag (Câmara Baixa), pelo Bundesrat (Câmara Alta) e pelo próprio presidente federal, Horst Köhler, antes do fim da semana, afirma o semanário alemão "Der Spiegel" em sua próxima edição.

Além de novas garantias para os depósitos e ajudas de liquidez, o Governo federal estuda oferecer capital aos institutos mais castigados pela crise, medida esta última que poderia custar entre 50 bilhões e 100 bilhões de euros.

Em troca, o Estado obteria participações nos bancos que poderiam passar a ser administradas por uma nova sociedade fiduciária bancária.

A "Der Spiegel" afirma que o pacote de resgate foi preparado pelo Ministério das Finanças e pela Chancelaria, com a colaboração do presidente do Bundesbank (autoridade monetária alemã), Axel Weber.

Os analistas contaram também com a assessoria dos presidentes do Deutsche Bank, Josef Ackermann, e do Commerzbank, Martin Blessing, assim como o presidente da confederação dos bancos alemã, Klaus Peter Müller. EFE jcb/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.