Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Empreendedores antecipam soluções tecnológicas para clientes

Na tecnologia, quem consegue antecipar o que ganhará escala no futuro pode, do dia para a noite, migrar da condição de coadjuvante para o primeiro escalão do mercado. Nesse momento, empresas que se apóiam no desenvolvimento da TV digital, internet ou na mobilidade, por exemplo, desfrutam de vantagem competitiva em razão do crescente interesse por essas novidades tanto no Brasil quanto no exterior.

Agência Estado |

Seu braço filantrópico, o Google.org, fez investimentos de US$ 45 milhões em tecnologias de energias limpas.

Nas últimas semanas, Eric E. Schmidt, o presidente-executivo do Google, tem sugerido um interesse mais amplo em energia. Ele se uniu a Jeffrey Immelt, presidente-executivo da General Electric (GE), para anunciar que as duas empresas vão colaborar em tecnologias para melhorar a rede elétrica.

E, enquanto o Google.org investiu em companhias iniciantes de energia limpa - como a que usa pipas para captar energia eólica -, o Google está analisando investimentos maiores em projetos que efetivamente gerem eletricidade de fontes renováveis. "Queremos ganhar dinheiro, e queremos causar impacto", disse Dan W. Reicher, diretor de mudança climática e energia do Google.org.

O momento pode não ser oportuno. Com a recessão despontando e os preços do petróleo em queda, os investidores poderiam pressionar o Google a reduzir suas ambições em energia limpa. As ações do Google perderam mais da metade de seu valor no último ano, e alguns analistas se queixam de que a companhia tem uma longa história de se meter em novas iniciativas com resultados irregulares.


Mas nada disso dissuadiu o Google de ir mais fundo no novo negócio. A empresa está contratando engenheiros para realizar pesquisas sobre energia renovável, como ex-funcionários da área de energia do governo, cientistas e até um ex-astronauta da Nasa.

"A companhia é um ator de destaque no campo energético", disse Daniel M. Kammen, professor de energia e recursos naturais na Universidade da Califórnia e consultor de energia da campanha de Barack Obama. "O Google está na frente tanto em recursos humanos como em dinheiro."

No ano passado, o Google anunciou seu objetivo de tornar a energia renovável mais barata que o carvão. Anunciou também um projeto para desenvolver veículos híbridos. A companhia está interessada em desenvolver tecnologias para sustentar algumas dessas modernizações, além de outras ferramentas que combinem energia e tecnologia da informação, como medidores elétricos "inteligentes". As informações são do jornal New York Times.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG