Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Google Brasil vê sinais da crise, mas busca oportunidades

A crise mundial poderá ter dois efeitos distintos para a mais nova investida do site de buscas Google no Brasil, a Google Enterprise, que desde fevereiro abriu uma filial no País para fornecer soluções de tecnologia para empresas. O diretor da companhia, José Nilo Cruz Martins, avalia que potenciais clientes poderão adiar investimentos.

Agência Estado |

Por outro lado, ele acredita que o cenário atual pode encorajar a busca de alternativas para melhorar resultados financeiros.

"Para nós, no curto e no médio prazo, o pior é a questão da volatilidade. Como o dólar não está conseguindo se estabilizar num patamar, de fato é de se esperar que alguns clientes posterguem um pouco a tomada de decisão e de investimento", afirmou Martins, após palestra realizada nesta tarde na Câmara Americana de Comércio (Amcham), no centro do Rio.

De acordo com Martins, a Google Enterprise já conta com "dezenas" de clientes no País. Ele preferiu não detalhar a quantidade. Como exemplo, citou empresas como Petrobras, Americanas.com e Magazine Luiza. O executivo estima que no ano que vem a carteira de empresas que adotam soluções Google deverá "aumentar significativamente". Em todo o mundo, ele diz que são 10 mil clientes da Google Enterprise.

"Vemos com preocupação alguns sinais da crise econômica. Mas por outro lado, uma crise pode intensificar a adoção de um modelo de despesa no qual as empresas vão se sentir desafiadas a encontrar maneiras de reequilibrar seus orçamentos. Isso pode nos trazer uma nova oportunidade de receitas", disse Martins.

A Infotec, representante da Google Enterprise no Rio, informou que há quatro clientes sendo prospectados no Rio. O diretor da empresa, Pedro Ghiatã, porém, admite que a crise pode afetar o desenvolvimento de novos negócios. "Sentimos um pouco mais a crise no momento da decisão de fechar o negócio", afirmou.

A Google Enterprise oferece para as empresas um serviço parecido com o site de buscas mais acessado do mundo, ao organizar por relevância a procura de dados e informações internas. Algumas das aplicações são usadas por portais de comércio eletrônico e por tribunais de Justiça, que organizam o acesso a processos e acórdãos, por exemplo.

No ano passado, a empresa Google registrou faturamento de US$ 16 bilhões. Segundo Martins, este ano o resultado deverá saltar para US$ 20 bilhões.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG