Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Goldman Sachs liderou fusões e aquisições no Brasil em 2008

SÃO PAULO - Os bancos estrangeiros dominaram as operações de fusões e aquisições fechadas em 2008 no Brasil. Em volume financeiro, o Goldman Sachs liderou o levantamento ao coordenar 7 operações e totalizar R$ 51 bilhões em transações do tipo, sendo que a principal delas foi a fusão entre BM & F e Bovespa.

Valor Online |

Os dados divulgados hoje pela Associação Nacional de Bancos de Investimento (Andib) revelam que a disputa foi acirrada com o JP Morgan, que veio em seguida com R$ 48,8 bilhões e 9 transações, e com o Credit Suisse, que computou R$ 44,7 bilhões em 8 operações.

Citigroup, NM Rothschild e Bradesco BBI também ficaram próximos uns dos outros, com fechamento de operações no total de R$ 39 bilhões, R$ 38 bilhões e R$ 36,8 bilhões, respectivamente.

No bloco de operações de reestruturações societárias e ofertas públicas, também encabeçou a lista o Goldman Sachs, com 5 operações e R$ 7,8 bilhões em transações, seguido de longe pelo Santander, que fechou o ano com R$ 3,454 bilhões referentes a 3 transações do tipo.

Se considerados todos os anúncios de fusões e aquisições, o NM Rothschild lidera o levantamento com folga, devido à fusão do Itaú com o Unibanco, anunciada no final do ano passado, mas que só deve ser fechada neste ano. O total nesse caso é de R$ 148,8 bilhões referentes a 8 transações. Dentre os três primeiros colocados em volume financeiro, o UBS Pactual foi um dos que mais coordenou operações , um total de 18 no ano passado, mas fechou o ano com R$ 24,5 bilhões.

Ainda considerando os anúncios, o Itaú BBA coordenou operações que somaram R$ 118,1 bilhões. Em seguida aparecem praticamente empatado o JP Morgan, com 52,9 bilhões, e o Goldman Sachs, com R$ 52,4 bilhões, seguidos pelo Credit Suisse, com R$ 51,7 bilhões.

No caso apenas de reestruturações e ofertas públicas, o Goldman Sachs toma a frente com R$ 7,3 bilhões e quatro operações. Santander é o segundo colocado no ranking, com R$ 5,8 bilhões.

(Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG