A General Motors vendeu durante o segundo trimestre do ano 2,28 milhões de veículos no mundo todo, o que representa uma queda de 5% em relação ao mesmo período de 2007, devido à crise nos Estados Unidos, informou a companhia nesta quarta-feira.


Na América do Norte, as vendas caíram 20%, o que supõe 236 mil veículos a menos que no mesmo período de 2007.

Com exceção dos mercados de Estados Unidos e Canadá, a General Motors teve resultados recorde nas outras três regiões em que tem dividido o mercado mundial: América do Sul, África e Oriente Médio; Ásia-Pacífico e Europa. Sem contar o mercado americano, as vendas globais da GM aumentaram 10% ou 116 mil veículos.

Na primeira metade de 2008, a GM vendeu um total de 4,54 milhões de veículos, 3% a menos que nos seis primeiros meses de 2007.

Apesar disso, a GM disse que em 2008 espera superar os nove milhões de unidades vendidas pelo segundo ano seguido.

Em comunicado, Jonathan Browning, vice-presidente da GM para vendas mundiais, afirmou "os resultados de vendas no mundo todo mostram que a empresa está se movimentando rapidamente para responder às novas oportunidades de mercado em todo o mundo".

"O rendimento mundial de nossas vendas durante o segundo trimestre foi alimentado pela (marca) Chevrolet globalmente e pela Wuling e GM Daewoo regionalmente". As vendas da Chevrolet na Ásia-Pacífico, a segunda maior região do setor do automóvel, aumentaram 27% em comparação com os resultados de um ano atrás.

Na China, as vendas aumentaram 33% e na Índia 9%. A marca Wuling cresceu na China 35% no período mencionado.

Na região da América do Sul, África e Oriente Médio, as vendas cresceram 18% e a Chevrolet somou cerca de 90% das vendas do segundo trimestre na região. Na Europa, as vendas da GM aumentaram 19%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.