Tamanho do texto

EUA - A General Motors afirmou que fará um corte de aproximadamente 2 mil funcionários de fábricas no Canadá e nos Estados norte-americanos de Ohio e Michigan no início do ano que vem.

Além disso, nesta sexta-feira, no Congresso dos EUA, o executivo-chefe da GM, Rick Wagoner, atribuiu os problemas financeiros da montadora a "ônus do passado", afirmando que os planos de saúde para aposentados e outros custos herdados sobrecarregaram o balanço financeiro da empresa.

Wagoner afirmou a membros do Comitê de Serviços Financeiros da Câmara que as operações da montadora no exterior estão financeiramente mais fortes do que as operações domésticas, por causa dos custos das pensões e dos planos de saúde para aposentados associados com os contratos sindicais nos EUA.

"Quando entramos em novos mercados, entramos em uma base não onerada", disse o executivo. Wagoner observou que a GM trabalhou com a United Auto Workers (UAW), sindicato dos metalúrgicos da indústria automotiva dos EUA, para reduzir significativamente aqueles custos nos últimos anos.

(Com informações da Dow Jones)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.