DETROIT (Reuters) - A General Motors anunciou nesta quarta-feira que suas vendas de veículos em 2008 caíram 11 por cento, o que fez com que a Toyota Motor tirasse da montadora norte-americana o título de maior do mundo pela primeira vez. A GM, que está tentando se reestruturar com o apoio de 13,4 bilhões de dólares concedidos pelo governo dos Estados Unidos, tinha o título de líder global em vendas de veículos há 77 anos e costumava usar isso em suas campanhas de marketing.

Mas em 2008 a montadora de Detroit disse que suas vendas caíram para 8,35 milhões de veículos, pressionadas por restrição do crédito e pela redução na atividade econômica dos EUA e de mercados emergentes, onde a empresa vinha mostrando força.

Mais cedo nesta semana, a Toyota divulgou que suas vendas no mundo em 2008 caíram 4 por cento, para 8,97 milhões de veículos, também prejudicadas pela crise global.

Mas tanto GM quanto a Toyota minimizaram a importância da troca na liderança do mercado.

"Participação nem sempre paga contas", disse Don Esmond, vice-presidente sênior de operações norte-americanas da Toyota, quando perguntado em uma conferência do setor sobre a liderança da indústria.

O analista de vendas da GM Mike DiGiovanni afirmou que 2009 está tendo um início fraco nas vendas.

Com vendas para agências de aluguel de carros caindo muito, o mercado norte-americano pode recuar para menos 10 milhões de unidades em termos anualizados em janeiro, disse DiGiovanni.

Isso ficaria abaixo das 10,3 milhões de unidades em dezembro e seria também menor que as 10,5 milhões de unidades que a GM estava projetando como base para seu plano de recuperação que será entregue a autoridades dos EUA em fevereiro.

DiGiovanni afirmou que a GM espera que estímulos fiscais aguardados nos EUA, China e em outros países poderão impulsionar a demanda no segundo semestre.

"Estamos cautelosamente otimistas, enquanto caminhamos por 2009, de que poderemos estabilizar e crescer novamente", disse.

A GM e a Toyota encerraram 2007 praticamente empatadas. A GM vendeu 9,369 milhões de veículos, incluindo os vendidos por joint-venture na China. Enquanto isso, a Toyota vendeu naquele ano 9,366 milhões de veículos.

O presidente-executivo da GM, Rick Wagoner, tinha prometido defender a liderança mundial de vendas da montadora, afirmando que o título era questão de honra.

Mas, com a GM contando com fundos federais dos EUA para evitar a falência, o vice-presidente de operações, Fritz Henderson, afirmou no final da terça-feira que a empresa tem sido forçada a se concentrar em outras medidas para avaliar o sucesso de sua recuperação.

"Eu realmente notei que eles nos superaram em valor de mercado, lucratividade e fluxo de caixa há tempos", disse Henderson sobre a Toyota.

(Por Poornima Gupta)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.