Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

GM não vai quebrar nem vender marcas, diz Wagoner

O presidente da General Motors, Rick Wagoner, rejeitou ontem a previsão feita na semana passada pelo banco Merrill Lynch de que a empresa poderia quebrar, se o mercado automobilístico americano continuar em declínio. De acordo com relatório do banco, a GM precisará conseguir até US$ 15 bilhões em dinheiro para reforçar sua liquidez e sobreviver à crise.

Agência Estado |

"Sob qualquer cenário que possamos imaginar, nossa posição financeira, ou posição de liquidez, permanecerão robustos até o restante deste ano", disse Wagoner ontem. Segundo ele, a empresa tem US$ 24 bilhões em caixa e outros US$ 7 bilhões em créditos. Além disso, segundo ele, a GM a tem muitas opções para reforçar suas finanças depois de 2008, embora tenha evitado anunciá-las.

O executivo disse também que não tem planos para se desfazer de mais marcas da empresa, dizendo que o foco da companhia está exatamente no desenvolvimento de suas marcas para torná-las mais rentáveis e preencher as necessidades do consumidor.

Atualmente, a GM vende veículos sob oito diferentes marcas, mas a maioria - incluindo a Buick, Saturn e Saab - enfrenta dificuldade em atrair compradores, apesar de oferecerem novos modelos que custaram à GM milhões de dólares em desenvolvimento. A única marca que a empresa já decidiu vender é a Hummer, cujos carros, versões civis de carros usados em operações militares, tornaram-se símbolos do alto consumo de combustível em tempos de petróleo em alta.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG