Tamanho do texto

A General Motors (GM) contratou assessores jurídicos e financeiros para preparar um eventual pedido de concordata, revela nesta quinta-feira o site do Wall Street Journal.

O diretor-executivo da GM, Rick Wagoner, "ainda não acredita que a companhia deva pedir" a concordata, destaca o site, mas diante da dura batalha para se obter um empréstimo do governo federal, decidiu "nas últimas semanas contratar assessores externos" para preparar uma eventual quebra.

Leia mais sobre: crise financeira

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.