Washington, 19 dez (EFE).- O presidente da General Motors, Rick Wagoner, disse estar confiante em que a ajuda anunciada hoje pelo Governo americano para o setor do automóvel será suficiente para permitir flutuar a companhia que dirige.

Wagoner declarou durante uma entrevista coletiva em Detroit que "a quantidade será suficiente" e que está confiante em que a GM cumprirá com os requisitos impostos por Washington sobre a viabilidade da empresa.

A ajuda anunciada hoje pelo presidente George W. Bush estipula que a GM receberá de forma imediata US$ 9,4 bilhões e a Chrysler outros US$ 4 bilhões.

Em fevereiro, a GM terá acesso a outros US$ 4 bilhões.

A companhia disse que começou a trabalhar para finalizar o acordo e que espera ter acesso aos fundos no dia 29 de dezembro.

Wagoner, que agradeceu em várias ocasiões a administração do presidente George W. Bush a concessão dos empréstimos, disse que agora a companhia se concentrará em "implementar de forma total e rápida o plano de reestruturação" que GM apresentou perante o Congresso.

O diretor assegurou que esse plano é a guia "para uma nova GM", que, segundo ele, produzirá "excelentes produtos com uma qualidade de classe mundial".

Wagoner revelou que as negociações finais para conseguir a ajuda, que aconteceram na noite da quinta-feira, foram "bastante singelas", embora também tenha acrescentado que nas últimas seis semanas ele passou mais tempo no telefone do que nos seis exercícios anteriores.

O anúncio da concessão de empréstimos a General Motors e a Chrysler se traduziu de forma imediata em alta das bolsas e dos títulos da GM e da Ford, as duas companhias cotadas na Bolsa de Valores. EFE crd/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.