A Gerdau registrou lucro líquido consolidado de R$ 573 milhões no primeiro trimestre de 2010, um avanço de 1.537% em relação ao resultado de R$ 35 milhões no mesmo período de 2009.

A Gerdau registrou lucro líquido consolidado de R$ 573 milhões no primeiro trimestre de 2010, um avanço de 1.537% em relação ao resultado de R$ 35 milhões no mesmo período de 2009. O Ebitda (lucro líquido antes de juros, impostos, depreciação e amortizações) atingiu R$ 1,4 bilhão, valor 134% maior que o do primeiro trimestre de 2009. A margem Ebitda no mesmo período de comparação cresceu para 20%, ante 9%. A receita líquida da siderúrgica também cresceu no período. Foram R$ 7,108 bilhões no primeiro trimestre, resultado 2% acima dos R$ 6,968 bilhões de igual trimestre de 2009. Os números refletem o aumento da demanda por aço, fortemente afetada pela crise financeira no ano passado. A Gerdau reiterou, no entanto, que a retomada dos mercados prejudicados pela crise tem ocorrido em níveis distintos. O presidente do grupo siderúrgico, André Gerdau Johannpeter, disse que, diante das previsões de crescimento de 5,8% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil em 2010, a expectativa é de uma alta de 23% no consumo de aço no País. No mundo, o setor siderúrgico calcula expansão de 11% nas vendas do insumo. Aços especiais. Questionado sobre o mercado espanhol de aços especiais, bastante atingido pela crise financeira, o vice-presidente de finanças da empresa, Osvaldo Schirmer, disse que a Gerdau está cautelosa com relação ao comportamento da demanda. A operação no país europeu utiliza cerca de 50% da capacidade instalada e Schirmer afirmou que não há expectativa de mudança no curto prazo. Durante a divulgação dos resultados trimestrais, ontem, Johannpeter disse que a empresa realiza estudos técnicos sobre novos projetos de investimento e espera aprová-los durante o ano de 2010. Entre os investimentos em andamento, Johannpeter detalhou que as usinas hidrelétricas de Caçu e Barra dos Coqueiros, que pertencem à Gerdau e juntas têm capacidade instalada de 155 Megawatts, entrarão em operação ainda no primeiro semestre. Os dois projetos terão R$ 632 milhões de investimento, dos quais R$ 575 milhões já foram realizados. A Gerdau aplicou no total R$ 233 milhões no primeiro trimestre, 61% nas unidades do Brasil. A Gerdau também prevê obter autossuficiência no suprimento de minério de ferro para a unidade de Ouro Branco (MG) em 2012. O grupo realizará investimentos de R$ 352 milhões em suas reservas para ampliar dos atuais 2,7 milhões de toneladas de produção própria para 6,6 milhões de toneladas até 2012. O presidente do grupo também estimou que os projetos de infraestrutura previstos no Brasil - como a Olimpíada no Rio de Janeiro, a Copa do Mundo e as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) - devem ter impacto na demanda por aço até 2011. Os executivos também comentaram a mudança no sistema de fixação de preços de minério, que passou a ser trimestral em vez de anual. Schirmer considerou que o sistema deve trazer mais volatilidade ao mercado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.