Tamanho do texto

SÃO PAULO - A análise de vários economistas indicando que as economias brasileira e mundial devem se desacelerar no ano que vem não freia os planos de investimento da Gerdau. A siderúrgica anunciou hoje que fará um aporte de US$ 277 milhões para ampliar a capacidade de produção da Açominas, em Ouro Branco (MG), de 4,5 milhões de toneladas para 5 milhões toneladas anuais a partir de 2010.

A informação foi divulgada pelo executivo-chefe da empresa, André Gerdau Johannpeter, que também revelou que a empresa estuda construir uma nova unidade produtora de vergalhões em Pernambuco, que demandaria aportes de US$ 400 milhões na primeira fase, com capacidade de 500 mil toneladas, e que estaria pronta em 2011. Numa segunda etapa, a produção poderia subir para 1 milhão de toneladas.

O executivo informou ainda que a siderúrgica tem planos para desenvolver uma planta de vergalhão na Espanha, com capacidade de produção de 1 milhão de toneladas, que atenderia o mercado de construção civil na região. Atualmente, a empresa atua no segmento de ações especiais naquele país, por meio da Sidenor. Para esta unidade, ainda não existe orçamento previsto de investimento.

Na avaliação do CEO da empresa, os sinais sobre o desempenho da economia dos EUA no ano que vem são variados (mostrando melhora e piora), enquanto na Ásia e na América Latina as indicações são de que a demanda seguirá forte. De qualquer forma, segundo Gerdau, mesmo que houvesse um sinal de menor crescimento econômico em 2009, isso não teria impacto no plano de investimentos da empresa, que define suas estratégias de olho no longo prazo.

Para o vice-presidente executivo de Finanças, Controladoria e Relações com Investidores da Gerdau, Osvaldo Schirmer, a empresa tem na diversificação geográfica e de produtos uma maneira de se defender de possíveis problemas conjunturais de crescimento em determinadas regiões do mundo.

No primeiro semestre deste ano, uma fatia de 35,9% da receita da empresa veio das operações no Brasil, 34,7% da América do Norte, 10% da América Latina (sem Brasil) e 19,4% da divisão de Aços Especiais, que tem como mercados grandes mercado o Brasil e a Europa.

No primeiro semestre de 2008, o lucro líquido consolidado da Gerdau subiu 38,3%, para R$ 3,214 bilhões, perante os R$ 2,324 bilhões da primeira metade do exercício anterior. O faturamento da empresa no período foi de R$ 22,315 bilhões, com avanço de 35,2%. O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) expandiu-se 51,7% e atingiu R$ 4,731 bilhões. A produção de aço bruto (placas, blocos e tarugos) totalizou 10,8 milhões de toneladas, com elevação de 25,6% ante 2007, e a de laminados situou-se em 9,2 milhões de toneladas, alta de 27,6%.

(Fernando Torres | Valor Online)