SÃO PAULO - A Energias do Brasil (EDP) encerrou o primeiro trimestre com um volume de 1.737 GWh de energia gerada pelas usinas do grupo, o que representou um recuo de 8,1% ante o registrado no mesmo período do ano passado.

SÃO PAULO - A Energias do Brasil (EDP) encerrou o primeiro trimestre com um volume de 1.737 GWh de energia gerada pelas usinas do grupo, o que representou um recuo de 8,1% ante o registrado no mesmo período do ano passado. Segundo as informações da empresa divulgadas ao mercado, a queda na venda é"resultado da estratégia de sazonalização dos contratos de venda de energia, com uma alocação maior no segundo semestre do ano". No mesmo período, o volume de energia comercializada pela companhia totalizou 2.086 GWh, uma alta de 18,3%, na mesma base de comparação. No que tange à distribuição, houve um crescimento de 39,2% no volume de energia, graças à base baixa de comparação, já que em 2009 o volume de energia em trânsito foi prejudicado pela crise. Somente na EDP Escelsa, foi registrado um crescimento de 92,9% na energia distribuída, enquanto na EDP Bandeirante, o acréscimo foi de 17,3%. A empresa informou ainda que a energia vendida a clientes finais cresceu 10,4% no período. A classe que mais avançou foi a rural, com alta de 26,2% no consumo de energia,"reflexo da estiagem nos dois primeiros meses do ano na região de concessão da EDP Escelsa", que gerou maior demanda dos clientes que necessitam da irrigação. A classe industrial, por sua vez, mostrou recuperação da produção e verificou aumento de 16,4% no primeiro trimestre. Já o consumo da classe residencial apresentou crescimento de 7,1%, enquanto o número de clientes subiu 2,5%. "O consumo médio das residências atingiu 185,3 KWh/mês, 4,5% superior ao apresentado no primeiro trimestre de 2009, reflexo do maior uso de eletrodomésticos, fruto do aumento da renda média", ressaltou a companhia. (Vanessa Dezem | Valor)
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.