não invade a iniciativa privada - Home - iG" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Genro: MP sobre bancos não invade a iniciativa privada

O ministro da Justiça, Tarso Genro, contestou os críticos da Medida Provisória (MP) 443, editada ontem pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que autoriza o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal a adquirirem participação em instituições financeiras. A MP 443, na interpretação do ministro, não é uma invasão das funções da iniciativa privada.

Agência Estado |

" Genro disse que a intenção do presidente Lula ao assinar a MP 443, não é, ao contrário do que afirmam seus críticos, a de permitir que o Estado substitua agentes privados, e sim a de corrigir eventual "desequilíbrio econômico" no sistema financeiro.

A atitude do presidente, disse o ministro, é "absolutamente correta, fundada na visão estrutural das funções públicas do Estado." Ao falar com jornalistas após participar de seminário em um hotel de Brasília, Tarso Genro declarou que a MP 443 "não é uma invasão das funções da iniciativa privada, mas a afirmação para a sociedade de que se, em algum momento, alguém tiver um problema de desequilíbrio financeiro, o Estado manterá o circuito financeiro em funcionamento."

"Portanto", afirmou o ministro da Justiça, "(a MP) vai manter o crescimento, o desenvolvimento e a distribuição de renda." Ele acrescentou que o Estado existe "para organizar a economia, para regular a sociedade e o circuito financeiro, não para substituir agentes privados, coisa que o presidente Lula não fez em nenhum momento."

Leia tudo sobre: genro

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG