O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Timothy Geithner, elogiou o compromisso do presidente chinês, Hu Jintao, com a reforma da política cambial chinesa e com os princípios do comércio aberto. Geithner também saudou o compromisso da China de seguir adiante com sua proposta para se juntar ao Acordo de Procuração de Governo (GPA, na sigla em inglês) da Organização Mundial do Comércio (OMC), que estabelece padrões para o acesso internacional a contratos de governos.

O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Timothy Geithner, elogiou o compromisso do presidente chinês, Hu Jintao, com a reforma da política cambial chinesa e com os princípios do comércio aberto. Geithner também saudou o compromisso da China de seguir adiante com sua proposta para se juntar ao Acordo de Procuração de Governo (GPA, na sigla em inglês) da Organização Mundial do Comércio (OMC), que estabelece padrões para o acesso internacional a contratos de governos.

Os comentários de Geithner foram feitos no fim do evento de dois dias em Pequim chamado Diálogo Estratégico e Econômico, durante o qual o secretário norte-americano e a secretária de Estado Hillary Clinton, além de dezenas de outras autoridades do governo dos EUA, negociaram com suas contrapartes chinesas sobre uma variedade de questões - desde as tensões na Península Coreana até a política cambial.

O compromisso com o GPA da OMC é uma das poucas medidas concretas que podem apontar para uma conclusão das negociações. A China concordou em se unir ao GPA quando se tornou parte da OMC, em 2001, mas o processo tem sido complicado. O sistema da China para conceder contratos de governo tem sido o centro de algumas das recentes tensões entre chineses e norte-americanos. Geithner destacou a atual cooperação entre a maior economia do mundo e a que cresce mais rapidamente. "Calmamente, mas seguramente, nós estamos construindo uma rede de acordos de cooperação muito fortes em uma série de objetivos", disse Geithner.

Permitir que a taxa cambial do yuan reflita as forças do mercado vai dar à China flexibilidade para garantir um crescimento econômico mais equilibrado, com inflação baixa, e um reforço dos incentivos para o setor privado chinês se afastar dos recursos naturais e se aproximar de indústrias de maior valor, segundo Geithner. A promessa de Hu de continuar o processo de reforma econômica para expandir a demanda doméstica e aumentar o consumo das pessoas físicas também foi elogiado pelo secretário.

Amanhã Geithner viaja para Londres, onde vai se encontrar com o novo ministro de Finanças do Reino Unido, George Osborne. Em seguida, Geithner viajará para a Alemanha para se reunir com o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, em Frankfurt e com o ministro de Finanças alemão, Wolfgang Schauble, em Berlim. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.