Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Gazprom: está se tornando inútil enviar gás para Europa

A Ucrânia está roubando 15% do gás natural que a Rússia envia para a Europa por meio dos gasodutos ucranianos, segundo o executivo-chefe da estatal russa Gazprom, Alexei Miller, que afirmou que está se tornando inútil enviar gás para a Europa pela Ucrânia. O roubo de gás russo na Ucrânia está aumentando a cada hora, afirmou o executivo.

Agência Estado |

"Se a Ucrânia interromper completamente o transporte de gás para a Europa Central e Ocidental, não vemos utilidade em entregar gás na fronteira ucraniana", disse o executivo.

O governo da Ucrânia e a Gazprom não conseguiram chegar a um acordo sobre um novo contrato de gás para o ano de 2009, o que levou a estatal russa a suspender o envio de gás para a Ucrânia na última quinta-feira. Desde então, o transporte de gás russo para a Europa através da Ucrânia foi afetado.

Miller afirmou que autoridades russas vão discutir a situação com a Comissão Europeia e o Parlamento Europeu em Bruxelas, na próxima quinta-feira. O primeiro-ministro da Rússia, Vladimir Putin, disse que o primeiro-ministro da Bulgária e o presidente da Romênia telefonaram para ele nesta terça-feira, depois que as entregas de gás russo para seus países diminuiu. "Eles estão realmente bastante preocupados com o que está acontecendo", disse Putin a Miller. As informações são da Dow Jones.

Negociações

A companhia de gás da Ucrânia, Naftogaz, afirmou que está pronta para se engajar nas negociações sobre o preço do gás com a Gazprom, e pretende apresentar suas opções a Moscou nesta quinta-feira, disse o porta-voz da empresa Valentin Zemlyansky à agência Dow Jones.

"Estamos preparados para discutir tanto o preço que a Gazprom nos cobra pelo gás quanto o preço de trânsito que cobramos da Gazprom", disse ele, acrescentando que o presidente da Naftogaz, Oleg Dubina, telefonou para o executivo-chefe da Gazprom, Alexei Miller, e que a Naftogaz está em negociações com representantes da Gazprom na Ucrânia.

Também hoje, o vice-executivo-chefe da Gazprom, Alexander Medvedev, em entrevista ao jornal britânico The Times, acusou a Ucrânia de agir "como um bárbaro" ao roubar o combustível durante esta madrugada, prejudicando o fornecimento para 110 milhões de pessoas nos Bálcãs, Turquia e no sudeste da Europa.

França e Itália

O grupo francês de energia GDF Suez informou nesta terça-feira que o abastecimento de gás da Rússia que passa pela Ucrânia caiu 70% na França, mas a companhia garante o fornecimento do insumo aos seus consumidores. A italiana Eni, por sua vez, informou redução de cerca de 90% na entrega de gás russo para a Itália. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG