Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Gazprom denuncia que Ucrânia mantém bloqueio do envio de gás à Europa

Moscou - O consórcio russo Gazprom denunciou nesta quarta-feira que a Ucrânia mantém o bloqueio ao fornecimento de gás para os consumidores europeus.

Redação com EFE |

 

Em comunicado divulgado pelas agências russas, a Gazprom afirmou que a estatal ucrânia Naftogaz se negou a receber o gás para seu trânsito à Europa.

Resposta ucraniana

O presidente da estatal ucraniana Naftogaz, Oleg Dubina, negou hoje as acusações da Rússia de que a Ucrânia tenha roubado na terça-feira gás destinado à Europa.

Os dois países trocaram acusações ontem pelo fracasso da retomada do fornecimento de gás russo à Europa, após seis dias de interrupção, que afetou gravemente os consumidores europeus, especialmente os países balcânicos.

"Depois que (a estação de) Sudzha começasse a bombear e que no sistema de gasodutos ficassem 1,2 bilhão (de metros cúbicos) de combustível, fornecemos todo o gás à Moldávia. Por isso, me desculpem, dizer que outra vez roubamos algo é mentira", disse Dubina.

Impasse

Centenas de milhares de europeus vêm sendo afetados pelo corte de gás e ficaram sem aquecimento na Europa em um inverno rigoroso desde o dia 1º de janeiro. O impasse entre Rússia e Ucrânia sobre o preço do gás já dura alguns anos, mas se agravou no início de 2009.

A Rússia acusava a Ucrânia de roubar parte do gás enviado para a Europa e de dever dinheiro. A Ucrânia nega as acusações.

Cerca de 40% das importações de gás dos 27 países da União Europeia são fornecidos pela Rússia, sendo que 80% desse gás é transportado via Ucrânia. Os países do leste europeu estão entre os mais dependentes do gás russo e foram os mais prejudicados pela crise da última semana.

Leia também:

 

Leia mais sobre gás

Leia tudo sobre: gás

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG