Moscou, 20 jan (EFE).- O vice-presidente da Gazprom, Aleksandr Medvedev, admitiu hoje que o preço médio que a Ucrânia pagará este ano pelo gás russo será inferior a US$ 250 por mil metros cúbicos.

"Será inferior a US$ 250", disse o número dois da companhia russa, citada pela agência "Itar-Tass", em entrevista por telefone à imprensa estrangeira ao responder uma pergunta sobre o preço médio que a Ucrânia pagará pelo combustível russo.

O conflito entre Rússia e Ucrânia pelo preço do gás explodiu justamente após a parte ucraniana se negar a pagar US$ 250 por mil metros cúbicos de gás, a tarifa fixa que a Gazprom oferecia a Kiev para este ano.

A falta de acordo levou à ruptura das negociações, e no dia primeiro de janeiro a Gazprom cortou o fornecimento da Ucrânia e uma semana após interrompeu totalmente o fornecimento de gás para a Europa através do país vizinho, que apenas hoje foi reatado.

Segundo os contratos assinados no dia anterior pela Gazprom e pela ucraniana Naftogaz, a Ucrânia pagará durante o primeiro trimestre US$ 360 por mil metros cúbicos, preço de mercado que inclui um desconto de 20%.

Esta diminuição permanecerá durante todo o ano em virtude de que a Ucrânia mantenha a tarifa de passagem preferencial de US$ 1,7 por mil metros cúbicos de gás a cada cem quilômetros para a passagem por seus gasodutos do gás russo destinado aos consumidores europeus.

O diretor da Gazprom explicou que os preços do gás diminuirão durante o ano por causa da queda da cotação do petróleo e de seus derivados.

Segundo Medvedev, este ano o preço médio para os consumidores europeus ficará na casa dos US$ 280 por mil metros cúbicos, embora no primeiro trimestre a tarifa seja da ordem de US$ 470. EFE bsi/fal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.