Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Gasto fiscal chileno será este ano 3,3% maior do que o previsto

Santiago do Chile, 9 abr (EFE).- O ministro de Fazenda chileno, Felipe Larraín, disse hoje que o gasto fiscal será este ano 3,3% maior que o previsto na lei de Orçamentos e alcançará os US$ 46,255 bilhões.

EFE |

Santiago do Chile, 9 abr (EFE).- O ministro de Fazenda chileno, Felipe Larraín, disse hoje que o gasto fiscal será este ano 3,3% maior que o previsto na lei de Orçamentos e alcançará os US$ 46,255 bilhões. A despesa adicional será de US$ 1,481 bilhão e não inclui os recursos destinados a financiar a reconstrução do país após o terremoto do dia 27 de fevereiro, disse Larraín em entrevista coletiva. O aumento orçamentário "nos deixa um espaço limitado para financiar de maneira responsável a reconstrução", assinalou o responsável das finanças chilenas A alta de 3,3% no erário foi atribuída a projetos pendentes do Ministério de Obras Públicas (MOP), o Subsecretariado de Esportes e da Junta Nacional de Jardins Infantis (Junji), este último do Ministério da Educação. Além disso, inclui mais subsídios de moradia, ajuste salarial no setor público e um aumento das subvenções educacionais, iniciativas que foram aprovadas no Congresso nos meses posteriores à aprovação do orçamento. Com relação ao plano para financiar a reconstrução, Felipe Larraín confirmou que o Governo trabalha em "um mix" de possibilidades, mas se absteve de anunciar medidas fiscais concretas e se limitou a reiterar uma eventual emissão de dívidas e aumentos tributárias "moderados". Em relação a este último ponto advertiu: "Não nos comprometemos com nenhum tributo especialmente". Adicionalmente, haverá remanejamentos orçamentários e a transferência de ativos imobiliários e financeiros do Estado, descartando a possibilidade que entre eles estejam a Corporação do Cobre (Codelco) ou a Empresa Nacional do Petróleo (Enap). EFE ns/ma
Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG