BRASÍLIA - O presidente do Senado, Garibaldi Alves, afirmou, na manhã desta quinta-feira, que se posicionou contrariamente ao ato da Comissão Diretora que criou um cargo com vencimento de R$ 9.979,24 para os gabinetes dos senadores. Ele disse que há disponibilidade de recursos para mais essa função, mas ressalvou que a decisão não vai ser bem assimilada.

A disponibilidade financeira existe. O problema não é nem mesmo financeiro, é mais político, mais de natureza estrutural. É que o Senado, na verdade, não está precisando de criar mais cargos, há outras prioridades. Pega mal, não vai ser bem entendido nem assimilado, observou.

Garibaldi Alves sublinhou que a decisão foi tomada pela Comissão Diretora e que seus integrantes votaram de acordo com suas consciências.

Está aí decidido. Eu fiz uma advertência de que não deveria ser colocado em votação. Mas os membros da Mesa insistiram para que fosse colocado em votação. Eu votei terminantemente contra, porque creio que o momento não é apropriado para nenhuma criação de cargo e nenhum aumento de qualquer natureza, afirmou.

A Mesa Diretora do Senado aprovou a criação de mais um cargo de confiança. São 81 novos cargos de assessor técnico.

(Agência Senado)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.