RIO - O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, confirmou que a companhia precisa de uma capitalização que coloque entre US$ 15 bilhões e US$ 25 bilhões no caixa da companhia este ano, de forma a tornar possível o plano de negócios, que prevê investimentos entre U$ 200 bilhões e US$ 220 bilhões até 2014. A companhia deverá levantar os recursos mesmo que a cessão onerosa de até 5 bilhões de barris não seja aprovada no Congresso. Segundo ele, deverá haver uma capitalização que garanta até US$ 25 bilhões no caixa da companhia, de forma a manter dentro dos parâmetros ideais as relações de alavancagem, de até 35%, e dívida líquida/Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) de até 2,2 vezes. A capitalização é de uma vez. É para entrar de US$ 15 bilhões a US$ 25 bilhões este ano para manter a razão capital/dívida e dívida/Ebitda, disse Gabrielli, ponderando que a companhia ainda não trabalha com a possibilidade de a cessão onerosa não ser aprovada no Congresso juntamente com o processo de capitalização da companhia.

A estatal divulgou comunicado ao mercado hoje reafirmando que "considera como premissa" a realização da capitalização no primeiro semestre de forma a viabilizar o financiamento de parte dos investimentos de R$ 88,5 bilhões previstos para 2010, de forma a não comprometer o nível de alavancagem líquida máximo de 35% estabelecido pelo Conselho de Administração.

(Rafael Rosas | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.