Tamanho do texto

SÃO PAULO - O gabinete japonês concordou em fornecer 1,81 trilhão de ienes (US$ 17 bilhões) para estimular a economia. Os recursos visam ajudar a lidar com os preços da energia e dos alimentos em um momento de turbulência financeira.

O premiê Taro Aso prometeu cortar impostos e pediu que a oposição apóie seus planos, que precisam de aprovação do Parlamento, onde o governo controla a Câmara Baixa, mas os opositores têm maioria na Câmara Alta.

Em discurso feito nesta segunda-feira, Aso criticou a oposição por fracassar em dar suporte no passado às políticas do governo. "Do começou ao fim, a posição do Partido Democrático era colocar em primeiro lugar a manobra política e a vida dos cidadãos em segundo", sustentou.

Ele acrescentou que a tarefa mais urgente agora é trazer a economia japonesa de volta à forma. Para isso, acredita em um programa em três etapas, com a primeira delas voltada para a economia.

(Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.