Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Furacão Ike prejudica extração e refino de petróleo nos EUA

HOUSTON (Reuters) - O furacão Ike suspendeu mais de 11 por cento da produção de petróleo dos EUA, na quinta-feira, paralisando quase totalmente as atividades nas plataformas de óleo e gás no golfo do México enquanto as empresas do setor preparavam-se para enfrentar a quarta tempestade deste verão. Segundo meteorologistas, o Ike, que vem ganhando força sobre as águas quentes do golfo, deve atingir o Estado do Texas a oeste de Houston, na noite de sexta-feira ou na manhã de sábado --colocando em risco as refinarias presentes nessa área.

Reuters |

'Com base no tamanho e na força projetada do Ike, temo que há uma chance de uma grande coluna de água de 3 a 4,5 metros de altura (ou talvez mais) atingir a região, junto com ondas violentas. Isso inundaria e danificaria o imenso complexo de refino da baía de Galveston e de Texas City', disse Jim Rouiller, meteorologista da empresa particular de previsão Planalytics.

Neste momento, nova refinarias da costa do golfo já paralisaram suas atividades por precaução, comprometendo a produção de 2 milhões de barris por dia, ou mais de 11 por cento da capacidade total dos EUA.

Até agora, neste verão, o setor de energia do país viu-se obrigado a adotar medidas de emergência ao menos quatro vezes devido a tempestades que entraram no golfo do México, a começar pelo furacão Dolly, em meados de julho.

Nas plataformas marítimas, as empresas petrolíferas, que ainda se recuperam dos estragos resultantes da passagem do furacão Gustav mais de uma semana atrás, tiveram de paralisar mais de 95 por cento de sua produção de óleo e mais de 73 por cento da produção de gás natural, segundo os dados mais recentes do Minerals Management Service.

O golfo do México abriga um quarto da produção norte-americana de petróleo e 15 por cento de sua produção de gás natural.

Enquanto isso, o Porto Offshore de Petróleo da Louisiana parou de carregar navios-tanque e a Guarda Costeira proibiu a entrada de embarcações no Canal de Carregamento de Houston --ambos vias importantes para a chegada de produtos importados aos EUA.

No entanto, a produção da região deve recuperar-se bastante rapidamente já que o Ike deve passar longe dali, provocando poucos danos.

'As previsões mostram que a área de maior densidade e o 'coração da área de produção de energia' no sul da Louisiana, além de partes adjacentes do norte do golfo, ficarão longe do caminho de destruição seguido pelo Ike. Como resultado, prevejo que as operações voltem ao normal nessa região no começo da próxima semana', disse Rouiller.

Mesmo assim, o impacto do Gustav e do Ike sobre a produção norte-americana de combustíveis já se faz sentir. Os dois impediram a produção de 14,1 milhões de barris de petróleo cru, de 1,9 bilhão de metros cúbicos de gás natural e cerca de 16 milhões de barris de petróleo refinado.

(Reportagem de Janet McGurty e Richard Valdmanis, em Nova York, Erwin Seba, em Houston)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG