Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Furacão Gustav fecha refinarias, portos e plataformas

O furacão Gustav avança pelo Golfo do México e na tarde deste domingo parecia se dirigir para bater violentamente contra uma das regiões com mais plataformas de petróleo do mundo. Os últimos funcionários de centenas de plataformas no mar (offshore) da região foram retirados hoje, resultando no fechamento de pelo menos seis grandes refinarias na Louisiana (EUA). A indústria espera para ver onde o furacão Gustav tocará a terra firme e qual será o efeito da sua passagem.

Agência Estado |

As perspectivas são de perda de produção de mais de 1 milhão de barris de petróleo por dia, extraídos no Golfo do México, até a próxima semana, e mais 1 milhão de barris se o maior terminal de importação de petróleo dos Estados Unidos, o Louisiana Offshore Oil Porto (LOOP, na sigla em inglês) for danificado pelo furacão e não puder ser reaberto rapidamente para os petroleiros.

Importações

A previsão do Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos é que o fenômeno Gustav poderá entrar no continente apenas alguns quilômetros ao oeste do terminal. Essa interrupção poderá forçar os produtores e as refinarias a buscarem outros terminais para importar o petróleo de fontes tão diversas como a Arábia Saudita e a Venezuela.

No porto da Louisiana, as unidades foram evacuadas, mas ainda ontem havia empregados da companhias trabalhando em escritórios próximos do terminal. Após a passagem do furacão, os funcionários do porto serão os primeiros a receber permissão para retornar ao local.

"Por enquanto, parece que o Gustav provará ser o pior cenário para a região produtora de petróleo. Ela está sob um alto risco de sofrer danos significativos," diz Jim Rouiller, meteorologista sênior e analista de energia na Planalytics.

Gustav perdeu um pouco de força nesta madrugada, mas espera-se que ganhe mais força nas águas quentes do Golfo do México. Caso o furacão mantenha seu curso normal, antes de atingir a terra firme ele deverá passar por várias plataformas de produção de petróleo e gás. Entre elas, estão as plataformas Ursa e Marte, da Royal Dutch Shell Plc; as plataformas Thunder Hawk e Medusa, da Murphy Oil Corp.; e as plataformas Morpheth e Torre do Diabo, da estatal italiana ENI SpA.

Já no continente, as empresas ConocoPhilips, Exxon Mobil Corp, Valero Energy, Marathon Oil Corp e Murphy fecharam suas refinarias na Louisiana reduzindo em 7% a produção petrolífera americana. Já as refinarias na costa do Texas continuam a operar com capacidade reduzida e algumas estudam o fechamento temporário. O Texas e a Louisiana respondem por quase 40% da capacidade de refino de petróleo nos EUA.

Neste domingo, a Anadarko Petroleum Corp. também informou que completou a retirada de 600 dos seus funcionários das plataformas no Golfo. O Centro Nacional de Furacões dos EUA previu que o furacão Gustav deverá atingir o continente na segunda-feira, na baía Timbalier, Louisiana, às 13h locais. As informações são da Dow Jones.

 

Leia tudo sobre: gustav

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG