Os fundos de investimentos já acumulam uma saída líquida (saldo entre aplicações e saques) de R$ 8,933 bilhões neste mês, até o dia 9, de acordo com os dados mais recentes do site financeiro Fortuna. Os campeões em resgates são os fundos multimercados (R$ 3,475 bilhões), seguidos dos fundos de renda fixa (R$ 2,492 bilhões), de curto prazo (R$ 1,872 bilhão) e de ações (R$ 1,175 bilhão).

Só na última quinta-feira (9), os saques somaram R$ 1,307 bilhão. Os números de curto prazo estão sujeitos a alteração, já que pode haver atraso dos gestores na comunicação das informações à base de dados.

Apenas até o dia 9, os resgates dos fundos de ações são maiores do que os registrados em trinta dias de meses anteriores. Essa categoria perdeu R$ 623,3 milhões em setembro e R$ 209,3 milhões, em agosto,Em julho,os fundos de ações haviam tiveram captação positiva de R$ 565,9 milhões, assim como em junho, com R$ 3,231 bilhões.

Neste ano, toda a indústria de fundos de investimentos já sofreu resgates de R$ 22,299 bilhões, com destaque para as saídas dos multimercados (R$ 33,349 bilhões) e dos de renda fixa (R$ 24,051 bilhões). Ajudam a reduzir os danos as entradas de recursos registradas nos fundos do poder público - direcionados especificamente para entidades vinculadas à União, aos Estados e aos municípios - que desde janeiro receberam R$ 21,433 bilhões.

Rentabilidade

Os fundos de ações amargam um retorno negativo de 21,49% neste mês até dia 9, de acordo com o Fortuna. Os multimercados, por sua vez, conseguem uma rentabilidade positiva de 0,16% em outubro, abaixo do 0,26% dos fundos de renda fixa e do 0,32% dos referenciados DI. Os fundos referenciados cambiais ganham 14,12%, beneficiados pela alta do dólar neste mês.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.