Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Fundos de ações latinos receberam US$ 151 milhões na semana passada

SÃO PAULO - Os Fundos de Ações da América Latina receberam US$ 151 milhões na semana encerrada dia 10 de dezembro. Segundo a EPFR Global, esse foi o melhor resultado em 29 semanas.

Valor Online |

A consultoria ressalta que a semana foi positiva para quase todos os emergentes. A categoria Emergentes Globais (GEM, na sigla em inglês) captou R$ 1,08 bilhão e os Fundos de Ações da Ásia (ex-Japão) ganharam outros R$ 188 milhões, com destaque para o envio de dinheiro para os fundos regionais da China. Já os Emergentes da Europa, Oriente Médio e África (EMEA, na sigla em inglês) foram alvo de saques pela 18ª semana seguida.

O resultado semanal é positivo, mas no acumulado do ano a perda de recursos é assustadora. Segundo a EPFR, os investidores já sacaram mais de US$ 40 bilhões dos fundos emergentes. Em todo o ano passado, esse mercados receberam US$ 40,8 bilhões.

A avaliação geral da consultoria sobre a movimentação de recursos na semana é de que o apetite por risco aumentou um pouco, mas a cautela continua dominando o ambiente, o que fica evidente pela captação de US$ 28,7 bilhões pelos Money Market Funds (que buscam investimento de curto prazo e baixo risco).

Na Europa, os investidores vinham antecipando o corte de juros na região e aproveitaram a semana para realizar lucros. Com isso, a categoria Fundos de Ações da Europa registrou a primeira perda de recursos em cinco semanas. No ano, o grupo já perdeu US$ 34 bilhões.

Perda também para os Fundos de Ações do Japão. Há 10 semanas os investidores sacam recursos temendo o impacto do iene valorizado sobre as exportações do país. Além disso, a segundo maior economia do mundo enfrenta uma nova rodada de deflação.

O dinheiro voltou a fluir para os Fundos de Ações dos Estados Unidos, que receberam US$ 6,58 bilhões na semana. O otimismo esteve relacionado com a expectativa - posteriormente frustrada - de resgate às montadoras do país. Grande parte do dinheiro novo foi destinada aos Exchange-Traded Funds (ETFs), que acompanham índices de mercado, de empresas de grande capitalização (large caps).

Entre os fundos setoriais a movimentação de recursos continua reduzida. Segundo a EPFR Global já se passaram oito semanas desde a última vez que os maiores grupos receberam mais de US$ 1 bilhão. Os Fundos de Imóveis e Construção ganharam US$ 298 milhões, enquanto os Fundos Financeiros perderam US$ 299 milhões. Os grupos Tecnologia e Commodities foram alvos de saques de US$ 179 milhões e US$ 101 milhões, respectivamente.

(Eduardo Campos | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG