O Fundo Monetário Internacional (FMI) dispõe de US$ 196 bilhões para socorrer países afetados pela crise e poderá levantar mais US$ 52 bilhões por meio de empréstimos especiais de seus maiores sócios como Estados Unidos, França e Alemanha, e instituições financeiras oficiais. O auxílio poderá ser fornecido com rapidez e sem imposição de muitas condições, por meio de procedimentos de emergência reativados na quarta-feira, informou ontem o diretor-gerente do FMI, Dominique Strauss-Kahn.

"Estamos prontos para atender a demandas de países com problemas."

Esses procedimentos foram criados em 1995. Permitem rapidez, facilitam o pagamento adiantado, mas não dispensam a apresentação de um programa de ajuste. O dinheiro pode sair no máximo em duas semanas. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.